Berd Pré-Cine: Brightburn – Filho das Trevas

O jogo está bem claro no trailer. Uma nave cai numa cidadezinha e nela um casal descobre um bebê, a quem logo decidem adotar. O tempo passa, e o bebê agora é um pré-adolescente, que começa a desenvolver poderes sobre-humanos. Mas as semelhanças com um certo ícone da DC param por aí. Ou não. “Brightburn – Filho das Trevas” é um jogo gostosinho de encontrar semelhanças e diferenças entre o bem que já conhecemos e o mal que poucos imaginariam.

Brightburn é basicamente isso: um bom exercício de imaginação. Até porque não há quebra-cabeças a ser montado, conhecemos as peças bem demais. Além disso, é bem bonita a caixa do brinquedinho novo da comunidade nerd. Leia-se: produção impecável. Ótimo figurino, fotografia linda e perfeita, efeitos visuais e sonoros descentes, ótimo elenco adulto, ótimo elenco infanto-juvenil, tomadas perfeitas.

Queimado de brilho, BB!

Há até mais de duas camadas de significados dentro do filme. Analogias entre relações parasitárias entre espécies semelhantes? Confere. Questionamento edipesco do que faríamos se tivéssemos muito poder? Correlações entre o nome do filme, do personagem, do símbolo, do penúltimo ator a interpretar o azulão no cinema? Confere, confere, confere, confere. Acrescente “leves” pitadas de gore (estejam avisados), humor não escrachado (tipo um “fuck” com determinado timing, ou uma macheza que seria ridícula se dirigida à versão boazinha do alienígena, etc). Finalmente, junte os belos exemplares de ursos que, infelizmente, não aparecem sem camisa. E pronto, está montado o pacote de qualidades de “Brightburn”.

No entanto, os defeitos também estão lá. Primeiro: todos os clichês de jumpscare estão lá, em excesso, e frequentemente forçados. Segundo: a falta de mistério, mas isso seria difícil evitar sem que o público se revoltasse quando descobrisse as semelhanças com o Azulão. E finalmente, junto com a falta de mistério, frequentemente vem a falta de medo. No fim das contas, “Brightburn” é boa diversão, mas ao que tudo indica, não deve se tornar um clássico na cultura nerd.

“Brightburn – Filho das Trevas” estreia hoje, 23 de maio, nos cinemas brasileiros e ganha 3,5 woofs deste berd que vos fala.

Veja Também

Comentários

Facebook