Woof, nerds de plantão! Sejam bem-vindos ao  BN Cast, o podcast oficial do Bear Nerd. E no programa de hoje, Marco ByM, James Figueiredo, Leo, Wally se juntam com Marcos Nogueira e seu ursinho Marcelo e compartilham partes de suas experiências que os definiram como ursos e nerds. E ainda por cima, E o pessoal de BN Cast se junta com o ninja de plantão Eder no BONUS STAGE, para falar dos lançamentos das HQs da semana, sejam bons ou ruins:

Pessoal, devido a alguns imprevistos, o ganhador do sorteio da promoção do BN Cast vai ser divulgado na próxima edição! 😉

Assine o feed do BN Cast, clicando AQUI.

Links comentados nesse BN Cast:

Artigo do Bear Nerd sobre o projeto IT’S GET BETTER

Site da campanha IT’S GET BETTER

Artigo do cracked.com sobre as seis edições especias mais trash dos quadrinhos

 

E não se esqueça: Se você procura quadrinhos importados a um bom preço,
mande um e-mail para a Super Comics – Nossa loja favorita de HQS importadas e afins
(supercomics@uol.com.br) e fale com o nosso ninja de plantão, Eder.

About author View all posts

Bearnardo Nerdson

Muito mais que um corpinho bonito, a personificação do seu site favorito de ursilidades nérdicas - ou seria nerdices ursinas?

  • Ewerton

    o/ { UHUUUUU! }
    Adorei o tema.
    Eu ia dormir, morto de cansado. Agora, só quando acabar.
    ;P

  • Ewerton

    Nossa o podcast tava enorme. O comentário tb será. 😉

    Primeiro, parabéns! Foi o bncast que eu mais gostei. Aposto nos futuros.

    Legal o inicio e o fim com música. Agora dá pra saber que começou e terminou. Não fica aquela sensação de ter pego da metade. Mas a música de fundo estava alta, depois desapareceu.

    Faltou o link do comercial do Gerard.

    se alguém não sabe o que aconteceu, aqui um link explicativo aqui http://pipocamoderna.com.br/gerard-depardieu-parodia-seu-incidente-urinario-em-curta-de-obelix/

    Cuidado com piadas internas. ^^
    Ficou ótimo o áudio da liga da justiça entre os blocos.

    Demorou pra entra no tema. Quase 29 min. falando de um tema já comentado em um bncast passado. Tudo bem gostar de quadrinhos, mas esse bncast fico com mais de 96 min.

    Sobre o tema agora:
    Realmente a palavra ideal pra descrever sair do armário é LIBERTADOR. A identificação com os x-men é na hora. Se sentir diferente de todo o mundo e ter que fingir ser igual é cansativo. Quando encontrei alguém que gostava das mesmas coisas que eu, foi fantástico. Mas veio tarde pra mim, eu já tinha contado pra alguns amigos escolhidos e com a história padrão, “caso vc não queira minha amizade, vou entender…” Apenas um amigo meu me perguntou se eu estava apaixonado por ele, pq se tivesse a amizade acabava ali.

    Nunca me senti atraído por professores. Mas tive um professor de matemática gordinho com a camisa aberta até a barriga. Parece um padrão mesmo.

    E a música para a história do ByM estava perfeita. XD

    Realmente, hoje, temos uma popularização do termo nerd. Pra mim nerd é aquele cara que, por um problema social, acabou se dedicando demais a uma paixão, como quadrinhos, e por ter tempo sobrando (pela falta de vida social) acabou estudando mais. Descobri que era nerd quando assisti A vingança dos nerds. Eu e os poucos amigos que eu tinha.

    Sobre homofobia, passei uma situação engraçada. Fui com meu namorado a um restaurante e nos comportamos como amigos. Nada demais. Quando perguntei ao ‘capial’ que nos servia onde era o banheiro, ele me disse e depois perguntou se era o feminino. o.O Se desculpou logo em seguida. Mas isso me ofendeu, mas entendo que apenas ele não sabia proceder. Putz! Eu uso barba, e estou anos luz de parecer uma mulher!!!!

    Não tive cobranças pra namorar, mas na rua era complicado com os amigos. Eu levava muita cantada de mulher. Fora algumas escorregadas eu era muito bom em fazer o papel, mas era difícil explicar pq eu não namorava.

    Quando eu contei minha mãe foi super dramático. Ela pediu pra não contar pra ninguém, nem pro meu irmão. Deixo esse vídeo de Wanda Sykes sobre esse momento. 🙂

    Não tive ninguém pra dizer que as coisas iam mudar. Acho que a internet salvou muita almas. Me emocionei muito assistindo o vídeo da pixar.

    O testemunho de vcs é algo muito importante. Mais do que vcs imaginam. Hoje está mais fácil, mas, assim como relatei minha história sobre os pontos abordados,não somos tão diferentes. Assim como muita gente vai perceber também. E isso é ótimo! As experiências sobre como apresentar o namorado foram fantásticas pra mim. Escutei com muita atenção.

    Parabéns novamente. E eu tb gosto do Ben10. ;P

  • ByM

    Wow, fiquei sem palavras…
    Só tenho a agradecer a esse carinho todo, pelas dicas valiosas e pelo vídeo da Wanda Sykes.

    São comentários como esses que fazem valer cada minuto que eu passo virando a noite editando o podcast.

  • Porra, sensacional, Ewerton! 🙂

    Em primeiro lugar, muito obrigado pelas críticas – Algumas delas inclusive são coisas que nós já notamos, e cada uma delas é muito valiosa pra gente melhorar a qualidade do podcast de uma ediçao pra outra. Obrigado mesmo!

    E, putz, muito bom saber que as coisas que a gente falou tiveram um efeito positivo! Afinal, estamos todos no mesmo barco e, pessoalmente, posso dizer que teria adorado ouvir essas conversas quando eu era moleque.

    Abração, cara, e continue acompanhando a gente!

  • (Em primeiro lugar, estou em um pc com teclado US entao ja peco desculpas pela falta de acentuacao, mas vamos la)

    Serei um pouco repetitivo pelo que o Ewerton ja disse, mas tenho que dizer que voces estao de parabens!! Nao so pela escolha do tema que achei bem acertada, mas pela melhora significativa dos dois primeiros episodios pra este.

    Como Ewerton ressaltou, a ideia da musica no inicio e no fim ajuda a criar um limite muito bom para o podcast. Apenas duas observacoes: As vezes rola um “silencio” de um ou dois segundos entre as falas (o exemplo maior foi no fim quando apos esse silencio, voces dizem “bom.. entao foi isso”). Sei que eh assim mesmo, porem pode dar uma impressao que o assunto acabou e nao que estah acabado, entenderam? rsrs. As vezes um corte no audio ficaria melhor, usando inclusive esse BG do desenho dos Superamigos que ficou otimo.

    A outra observacao eh sobre a musica do fim. Ficou bem legal colocar uma musica pra delimitar o fim do episodio mas acho que ela tocou por tempo demais, e foi subindo o volume e acabou abafando um pouco a fala de voces. Quando ela foi necessaria pra terminar mesmo, ela ja estava mais bem mais baixa.

    Sobre o som! Achei o episodio um pouco baixo… meu player do celular tem um volume bom mas na rua quase nao consegui ouvir alguns pedacos.

    Agora finalmente sobre o assunto:

    Tenho 22 anos e acabei “me descobrindo” bem cedo, aos 15. Gracas a internet, comecei a ler fanfics yaoi e fui percebendo que aquilo me chamava bem mais atencao do que as comuns de garotos com garotas. Juntando isso ao fato de sempre saber ser diferente dos outros garotos, vi que nao era mesmo hetero.

    Como sempre fui nerd tipico – de ficar em casa jogando videogame ou RPG com os amigos e quase nunca sair – acabei lendo cada vez mais fanfics e contos na internet e fui me fechando de vez no “mundinho” do quarto rs.

    Com 18 anos eu me formei no ensino medio e entrei para um cursinho pre-vestibular. Meus melhores amigos ja sabiam da minha orientacao sexual e reagiram basicamente da mesma forma como voces contaram: “voce estah afim de mim? Se nao estah, tudo ok”. Fora esse circulo, quase ninguem sabia, apesar de eu ja ter tido experiencias com alguns caras.

    Foi nessa epoca do cursinho que contei pra minha mae e a partir dai, tomei a mesma atitude do james. Quando no cursinho me perguntavam se eu era gay e respondia tranquilamente que sim e que isso nao era impedimento algum. Hoje, percebo que foi uma das melhores atitudes que eu pude tomar na vida. Fez de mim uma pessoa mais segura na minha orientacao e me fazia viver sem medo do “e se alguem descobrir???”.

    Meu pai sempre foi muito preconceituoso e no inicio do ano passado, quando eu tinha 20, ele acabou descobrindo sobre eu ser gay atraves de historico de msn e essas coisas imbecis e nunca mais falou comigo. Ja fiquei bastante mal por isso mas acabei “aceitando” porque acredito que quem perde com esse afastamento eh ele, e nao eu.

    Eu nao tenho que mudar, ninguem tem. As pessoas devem te aceitar exatamente como vc eh. Quando o James fala sobre dizer que “…estava com o namorado fazendo tal coisa..” concordo inteiramente com ele que deve partir de nos tornar isso algo natural. Podia ser uma namorada, mas eh um namorado e eu nao sou melhor ou pior por isso!

    Sobre a parte de se descobrir “urso”, foi mais dificil aceitar que eu era. Sempre soube que caras grandes e barbudos me atraiam e antes de conhecer a “comunidade” ursa, eu pensava que eles nao se atraiam por gente parecida. Sempre fui gordinho e peludo e durante muito tempo eu lutei contra isso porque na minha cabeca adolescente eu nunca imaginava que um gordo barbudo ia me querer assim!! Pra voces terem uma pequena ideia da loucura, eu cheguei ao ponto de DEPILAR A BARBA 3X porque eu nao queria mais ter barba!! hahahahaha (ps.: nao facam isso. DOI PRA PORRA!!)

    O tempo passou, eu conheci o tal gueto dos ursos e vi que eu podia ter barba e pegar um cara de barba. E que isso valia pra gordo tambem! Foi bem “libertador” rs

    Bom, acho que eh isso (rs)! Eh realmente muito legal ver o trabalho de voces no site e agora no podcast e ver que voces estao melhorando a cada dia. Parabens MESMO! Peco desculpas novamente pelo texto desconfigurado e muitos abracos a todos!!

  • Muito bom o episódio, pena que ouvi em um shopping LOTADO de seres monstruosos e barulhentos que a mídia e a sociedade tentam me convencer que são bonitinhos (aka crianças).

    Hoje à noite ouço com mais calma.

    O lance de contar pros amigos é sempre complicado, sempre dá um medo danado, mas até hoje nunca tive problema com isso. Em geral quando conto eu viro logo pro cara, antes de ele falar qualquer coisa, e digo em tom de brincadeira “mas não se empolga não que tu não é meu tipo”.

    Abraços e parabéns!

    P.S. A voz do ByM é uma fofura =)

  • Marcos Rio de Janeiro

    Parabéns pessoal,
    O Cast foi show de bola e não perdeu nada em relação a qualidade de qualquer NerdCast podosférico que seja. E o tema foi o melhor ever de todos podcast que eu já ouvi até hoje. Parabéns novamente e um abraço de urso em todos. Woof!!!

  • Raul

    Muito legal o podcast, apesar de eu não ser urso eu ando saindo com um. Gostei muito do trabalho de vocês!

  • alex

    bem ,o que posso dizer ,achei, exelente ,o cast de vcs é tudo,adorei os cometario de vera ,muito intelegente,vou escutar o restante ^__^

  • Olá,ursinhos da bearnerd,teve conhecimento do blog de vocês pela comunidade do facebook,achei o blog muito cool,a parte gráfica nem se fala, em primeiro ,mas o que eu curti foi os pudcast, que ficou da hora, bem editado,e você sabem conduzir uma boa conversa……pretendo acompanhar como leitor e ouvente também,continuem assim sempre ^^

    abraços para todos: Alex Machado

  • Charles

    Muito bom os BN Cast… Se vcs soubessem como isso ta me ajudando… ;)~

  • Leo

    pô, bacanão ler esse tipo de coisa 😀

  • Leandro Sá

    Ok, sei que o meu comentário está bem atrasado, mas é que esse foi o cast de vocês que mais me emocionou e achei válido postar minha experiência aqui.

    Minha família é muito católica. Meus pais e meus irmãos (dois mais novos) são envolvidos com diversos grupos na igreja. Eu cresci nesse ambiente em que a homossexualidade é vista como um desvio de caráter.

    Em 2007 eu tinha 19 anos e minha mãe encontrou algumas revistas gay nas minhas coisas e veio me perguntar se elas eram minhas. Respondi que sim e o assunto morreu até então. Só alguns meses depois tive “a conversa” com ela e disse com todas as letras a minha orientação sexual. Ela chorou e falou umas coisas que me magoaram muito. Desde então nunca mais tocou no assunto e eu não tento forçar a barra. Se ela prefere assim, ok. Para o restante da família (inclusive para o meu pai) nunca falei abertamente sobre a minha sexualidade, mas também não fico forçando uma imagem hétero. Se me perguntarem eu respondo.

    Com os amigos tive 99% de reações positivas. Só um, o que até então eu considerava meu melhor amigo disse que não poderíamos andar juntos por isso. Na época fiquei muito triste porque éramos amigos de infância, mas depois percebi que se ele não fez questão da minha amizade por esse mero detalhe, me livrei de conviver com um babaca.

    No trabalho sempre fui assumido e nunca enfrentei nenhum tipo de discriminação por esse motivo. Sempre fui respeitado.

    Isso é um pouco da minha experiência, com atraso, mas está.

    • Muito bacana o seu comentário, Leandro. Fico MUITO feliz que o cast que a gente fez tenha te tocado de forma tão pessoal, e é CLARO que seu testemunho é muito válido.

      Infelizmente, vivemos num mundo em que viver nossa sexualidade ainda representa uma batalha. Às vezes mais difícil, às vezes mais tranquila, mas uma batalha. Mas eu acho que, no final das contas, o importante é a gente sempre lembrar de manter a cabeça erguida, de não nos sentirmos inferiores a ninguém, por que não somos. É assim que seremos respeitados.

      Grande abraço!
      J.

  • Pedro

    Como faz downloads dos pod cast’s?

    • ByM

      Oi Pedro…
      Criamos uma página para que os ouvintes possam baixar o cast… É só clicar nesse link

%d blogueiros gostam disto: