Post do Leitor: Strange Flesh, um beat’em up ursino (NSFW)

[et_pb_section bb_built=”1″][et_pb_row][et_pb_column type=”2_3″][et_pb_text _builder_version=”3.0.106″ background_layout=”light”]

Aviso: esse post possui conteúdo NSFW


Existe um grande preconceito dentro do meio nerd referente à certos nichos, seja otakus, gamers hardcore, fandons de séries, etc. Pois bem o jogo do qual irei resenhar aqui é proveniente da comunidade furry. Assim como um dos grandes jogos lançados no ano de 2015, Undertale, foi desenvolvido e financiado, majoritariamente por fandons de Homestuck em processo de crowdfunding. Strange Flesh foi desenvolvido por um grupo diminuto do nicho furry, que fundaram a empresa Greatest Bear, Strange Flesh é o primeiro jogo deles.

Com temática explicitamente erótica (+18), o jogo é um clássico estilo beat ’em up ao estilo Street of Rage ou Final Fight, com pixel art e uma trilha sonora impressionante, composta pelo artista denominado apenas de Fann.

Na trama acompanhamos Joe, um “salaryman” frustrado com o trabalho que, após uma semana estressante, decide ir ao bar chamado Strange Flesh, ao chegar ao local conhecemos o avatar do jogador The Bartender (o barman). E após Joe desabafar com o mesmo, tal personagem que ao ver possui poderes sobrenaturais, adentra ao mundo onde onde se materializa o jogo, a própria psique de Joe. Suas frustrações, prazeres, desejos, fetiches e inseguranças tomam forma como inimigos do jogo, com grande referências à comunidade leather e ursina.

Com mecânica simples composta de 3 botões de ações mais a movimentação do personagem pelo cenário e poucas fases, afinal o jogo foi desenvolvido sem nenhum investimento. É um ótimo jogo para se gastar 1 horinha jogando, tem excelentes animações, mas me faltou desafio, não que eu seja o hardcore, mas assim que se pega o macete básico dos inimigos, o jogo fica fácil.

O jogo está disponível gratuitamente no site oficial e os desenvolvedores pedem uma pequena gorjeta de qualquer trocado que você tenha no paypal, o que eu aconselho que o faça é uma causa legal ter gente talentosa trabalhando em seu tempo livre para desenvolver algo tão legal no meio homossexual, eles também disponibilizaram os scans do que seria o manual físico do jogo, que você pode baixar, clicando aqui!

 

[/et_pb_text][/et_pb_column][et_pb_column type=”1_3″][et_pb_text _builder_version=”3.0.106″ background_layout=”light”]

Fernando Arimori it’s tranquil it’s favorable, joga vídeo-game e acha que quem chama os outros ou se intitula “gamer” é poser. twitter.com/f_arimori


Este é um post feito pelo nosso leitor Fernando Arimori. Se você quiser escrever um também é só clicar aqui!

[/et_pb_text][/et_pb_column][/et_pb_row][/et_pb_section]

Comentários

Facebook

2 Replies to “Post do Leitor: Strange Flesh, um beat’em up ursino (NSFW)”

  1. Baixei o jogo, e ele é FODA (literalmente…). Só uma coisa que eu não entendi: tem 3 finais possíveis. O de Dominação, o de Corrupção, e um terceiro, que sempre fica bloqueado. Alguma ideia de como desbloquear o terceiro encerramento?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.