Assim começa a definição de Bear With Me, uma webcomics americana publicada todas as segundas-feiras que o Bear Nerd apresenta para vocês, agora!

Meu primeiro contato com Bear With Me foi por acaso quando eu navegava pela internet, há alguns anos. Me deparei com o site daquela história, que apesar do desenho simples, possuia um argumento genial. Eu varei a noite lendo e me divertindo com as aventuras do jovem Andy e seus amigos ursos. No dia seguinte eu enviei um e-mail ao autor tecendo milhares de elogios. Fui retribuído com um e-mail supergentil, no qual ele matou todas as minhas curiosidades a respeito da história e dos personagens, que eu reproduzo em parte aqui:

 

A tira é uma criação de Bruin, também conhecido pro Tim Vanderburg, um distinto senhor de 55 anos cavalheiro de meia idade, que vive em Madison, Wisconsin. Ele nos conta que a tira surgiu das próprias frustrações do autor, Bruin, tentando se encaixar na comunidade Ursina.

“Por algum motivo”
– diz Bruin – “…eu me senti um tanto bloqueado pelo conceito da ‘atitude’ ursina e até hoje eu não entendo bem o que essa atitude deveria ser. Disso, saiu Andy, um cara que parece um urso, mas na realidade não sabe o que exatamente faz alguém ser urso. Pra mostrar essa confusão graficamente, eu tive a idéia de colocar ele entrando e saindo do ‘Modo urso’. “


“Essa transformação se transferiu rapidamente para os outros personagens: Quando eles se sentiam confiantes e seguros de si mesmos, eles pareciam ursos. Quando a vida dá um susto neles, ou eles ficam inseguros, eles saem do ‘Modo urso’ e parecem pessoas ‘normais’. Isso acabou se tornando um desafio no desenho, por que eu tive que criar dois visuais muito diferentes para os personagens que também fossem reconhecidos como a mesma pessoa” (Nota do editor: essa é a sacada mais genial da série).

A maioria dos outros personagens refletem diferentes aspectos do autor. Andy é a confusão com relação a cultura ursina; Paul a timidez e inabilidade nos contatos sociais; Ed a ambivalência com relação a envelhecer; Forrest o lado selvagem. Até Constance mostra algusn aspectos menos atraentes do autor em relação ao de elitismo social, ser esnobe e a resistência a mudança.

Uma das melhores sagas da história é quando os personagens resolvem ir até Chicago para um grande Feira Ursina. “Como você deve ter notado, um monte da minha frustração com a Comunidade Ursina é centrada nos eventos. Eu planejava que a história da Feira Ursina fosse durar três ou quatro semanas; Eu descobri que eu tinha tanto pra falar que o arco inteiro demorou quase um ano pra completar. A boa notícia é que, agora que eu já botei pra fora o que eu tinha pra falar pela tirinha, eu estou bem menos irritado com eles. Eu ainda não tenho nenhuma intenção de ir a um, mas ao menos eu estou calmo o suficiente pra entender que eu não tenho a personalidade que me permitiria apreciá-la. Eu simplesmente NÃO sou festeiro e esses eventos exigem que você seja do tipo festeiro.”


Relembrando: você pode acompanhar semanalmente a série todas as segundas-feiras  no site oficial e em breve aqui no Bear Nerd!

ps: Há algum tempo atrás, eu fiquei tão empolgado que mandei para o Bruin um fanart da série:

 

Eu fiquei superfeliz dele ter gostado bastante, rsrsrsr